muro-em-barreiras

Flores em resposta à violência

jan 03 2017
(0) Comentários
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Quem caminha rumo ao IFBA Barreiras tem percebido, desde o início da semana, um muro decorado com flores e dizeres “Aflora Paula Vielmo” e “Vielmo Aflora”. A mensagem, destinada à técnica-administrativa Paula Vielmo, não surgiu espontaneamente, ela foi uma bela resposta a uma pichação feita no final de 2016, provavelmente por um estudante.

“Uma estudante do IFBA me contou que viu um garoto pichando ‘Fora Paula Vielmo’ no muro e gritou para ele parar. Desconfio que seja um estudante do Instituto, que pichou em retaliação aos movimentos grevistas no nosso Campus. Há um grupo que é contra o movimento paredista e tem raiva de mim, acha que sou a responsável pelas greves. Além de demonstrar imaturidade e desconhecimento, utiliza o estereótipo de achar alguém para culpar pelo ocorrido”, analisa a técnica. Além do “Fora Paula Vielmo” e do “Vielmo Fora”, também estava no muro uma menção à diretora de Ensino do IFBA Barreiras, Maria Conceição Santos.

Para Paula, a pichação é uma demonstração de ódio, de desrespeito e de intolerância, ainda mais em um contexto político tão delicado quanto o atual. “Estou na militância política há muitos anos e já enfrentei muita coisa. Uma pichação no muro não vai me tirar de lugar nenhum, mas é uma violência simbólica, de alguma maneira preocupante. Se, de fato, for uma ação vinda de algum estudante do IFBA, eu acho mais preocupante ainda porque a gente não está conseguindo formar criticamente esses sujeitos na perspectiva de cidadãos histórico-críticos e que respeitam a diversidade”, pondera. A técnica ainda está avaliando se tomará alguma providência em relação à pichação.

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário

FORTALEÇA A LUTA DA CATEGORIA

Filie-se e conheça as nossas vantagens