adia-enem

SINASEFE-IFBA exige adiamento do ENEM

maio 11 2020
(0) Comentários
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

O SINASEFE-IFBA vem, por meio desta nota, manifestar seu veemente repúdio ao Ministério da Educação (MEC), chefiado por Abraham Weintraub, pela campanha publicitária que anuncia o prazo de inscrição para Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e diz que as/aos estudantes brasileiros que estudem do jeito que der e que a vida não pode parar, em meio uma crise na saúde pública mundial.

Nós do SINASEFE-IFBA, que lutamos durante mais de um ano pela nomeação e posse da reitora Luzia Mota, recentemente vimos as intervenções do MEC nos Institutos Federais do Rio Grande do Norte (IFRN) e Santa Catarina (IFSC) e a enfrentamos as PECs e PLs que insistem em atacar o funcionalismo público brasileiro, exigimos que o ENEM seja adiado. Entendemos que essa medida, em plena pandemia em que a desigualdade social se impõe com mais voracidade, exigir que estudantes “se preparem” para um exame, sem as condições básicas emocionais e estruturais, é um verdadeiro golpe a educação pública gratuita e de qualidade.

Na última semana, o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) também divulgou uma nota de repúdio ao Ministério da Educação:

“O Fonasefe repudia essa publicidade e exige que essa campanha seja retirada de circulação, que os recursos à ela destinados sejam revertidos para o equacionamento das questões envolvendo a pandemia, tanto na prevenção, quanto em promover as condições de vida e trabalho para a maioria da população, ampliando o auxílio emergencial, ou mesmo fazendo campanha de esclarecimento de medidas eficazes de prevenção como a importância do isolamento social ou o uso correto de máscaras de proteção, por exemplo.

O Fonasefe também se posiciona pela defesa do adiamento do calendário do Enem. A pandemia afeta a todas as pessoas no mundo, mas não da mesma forma. As pessoas da classe trabalhadora, das periferias, de comunidades rurais ou ribeirinhas, estudantes de escolas públicas estão em muitos com as aulas suspensas há meses. Mesmo quando estão mantidas atividades escolares não presenciais muitas não tem condições de acompanhar, visto que a luta pela sobrevivência, as dificuldades na vida, ou as dificuldades de acesso a meios para acessar material via internet são bem diferentes. Muitas famílias não tem computadores, nem tablets, nem mesmo smartphones. Quando têm, o custo de acesso a internet pré paga da maioria é muito alto e a prioridade para a alimentação ou pagamento de aluguel não permite acesso a videoaulas ou materiais informativos. Isso sem contar que em muitas comunidades rurais ou indígenas simplesmente não há disponibilidade de sinal de redes eficazes.”

EXIGIMOS O ADIAMENTO DO ENEM!

Baixe aqui a nota de repúdio na integra do FONASEFE.

Assine aqui a petição a favor do adiamento do ENEM.

 

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário

FORTALEÇA A LUTA DA CATEGORIA

Filie-se e conheça as nossas vantagens